Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Para curar as chagas da guerra e do terrorismo

· ​No Regina caeli de Pentecostes o Papa recordou as vítimas do ataque em Londres ·

«O Espírito conceda paz ao mundo inteiro; cure as chagas da guerra e do terrorismo, que também esta noite, em Londres, atingiu civis inocentes: rezemos pelas vítimas e pelos familiares». Com estas palavras o Papa Francisco, durante o Regina caeli de domingo 4 de junho, recordou o atentado que na noite anterior abalou novamente o coração da capital britânica. Na oração mariana recitada na praça de São Pedro no final da missa de Pentecostes o Pontífice quis garantir a sua proximidade espiritual à comunidade londrina atingida por mais um massacre, convidando as dezenas de milhares de fiéis presentes a rezar pelas vítimas do terrorismo e pelos seus familiares, fazendo votos de que o Espírito conceda o dom da reconciliação ao mundo.

Precedentemente, na homilia, o Papa recordou a centralidade do perdão na vida da Igreja, definindo-o «o cimento que une os tijolos» da casa. Porque «o perdão – explicou – é o dom elevado à potência infinita, é o amor maior, aquele que mantém unido não obstante tudo, que impede de soçobrar, que reforça e solidifica. O perdão liberta o coração e permite recomeçar: o perdão dá esperança; sem perdão, não se edifica a Igreja».

Também a vigília de oração organizada no final da tarde de sábado no Circo Máximo pelo International Catholic Charismatic Renewal Service e pela Catholic Fraternity no âmbito das celebrações do cinquentenário da Renovação carismática, ofereceu ao Papa a ocasião para lançar um apelo a favor da paz e fazer votos por uma «diversidade reconciliada» entre todos os cristãos. «Se acentuarmos as diferenças – advertiu – estaremos em guerra entre nós e não poderemos anunciar a paz. A paz é possível a partir da nossa confissão de que Jesus é o Senhor e da nossa evangelização neste caminho».

O Papa durante a vigília  

Homilia da missa de Pentecostes 

Regina caeli

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS