Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Para comunicar a novidade do Espírito

· A viagem do Papa Francisco ao Brasil narrada pelas câmaras do Centro televisivo do Vaticano ·

O avião tinha levantado há pouco. O Papa Francisco foi saudar quem o estava a acompanhar ao Brasil, a tripulação e os jornalistas que ele quis encontrar pessoalmente: alguns pediam uma oração, outros estavam arrebatados pela emoção, uns faziam benzer um rosário, outros faziam observações. O horizonte não era certamente do protocolo, considerando a atenção pessoal, a escuta e os olhares. Momentos que o Centro televisivo do Vaticano (Ctv) documentou no processo de passagem do mundo da narração (o que está a acontecer e deve ser contado) ao mundo do espectador.

Consciente de que a narração audiovisual,  feita nesta ocasião com competência linguística e com amor pela Igreja, representa uma atracção, uma influência, uma solicitação a fim de que se verifique a apropriação do enredo de quanto se está a narrar – os gestos e as palavras do Papa na viagem ao Brasil – por parte do espectador, no desenrolar-se concreto na história dos próprios sonhos, pensamentos, projectos e expectativas. Em Temps et récit, Paul Ricoeur especifica que uma obra não é dirigida simplesmente a um leitor futuro, mas prevê este leitor, aliás prepara precisamente para ele uma experiência viva da leitura. Os operadores de câmara do Ctv sentem a responsabilidade de narrar e de prever para o espectador uma experiência viva de visão, ou seja, «o que deve ser interpretado num texto», afirma sempre Ricoeur.

Entre competências linguísticas, relação discreta e pessoal com a figura do Santo Padre, amor pela Igreja, o Ctv narra os acontecimentos – sob forma de serviço, como prevê o seu Estatuto – do Papa e as actividades da Santa Sé. Não obstante se saiba que o uso, no âmbito histórico, das imagens é caracterizado por relutâncias, atrasos e superficialidades, o compromisso da Santa Sé para um arquivo histórico audiovisual não só foi decidido, mas actualmente está a seguir uma estratégia tenaz de digitalização e conservação.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

15 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS