Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Para com famílias iraquianas e nigerianas

· ​Solidariedade do Papa e da diocese de Roma ·

É constante a solicitude do Papa Francisco pela situação das famílias cristãs e de outros grupos obrigados a deixar as próprias casas e aldeias – em particular na cidade de Mosul e na planície de Nínive – e a refugiar-se noutros territórios, entre os quais a região autónoma do Curdistão iraquiano. O Pontífice reza por elas, desejando que possam regressar e recomeçar a própria vida nas terras e nos lugares onde, por centenas de anos, viveram e teceram relações de boa convivência com todos.

Os sofrimentos destas populações tornam-se mais significativos à luz da Semana Santa já próxima: trata-se de famílias que compartilham com Cristo a violência injusta da qual são vítimas e participam na dor do próprio Cristo.

Precisamente para estar próximo deles, o cardeal Fernando Filoni, prefeito da Congregação para a evangelização dos povos, voltará ao Iraque como sinal de proximidade e de afecto, e em comunhão de oração.

Também as famílias da diocese de Roma, unidas ao seu bispo em espírito de solidariedade, manifestarão proximidade através de uma colecta especial nas paróquias. Enviarão às famílias iraquianas uma «colomba», o clássico doce da Páscoa italiano, em sinal de partilha da alegria da ressurreição e de bons votos fundados na fé em Cristo.

Por sua vez, o Papa Francisco manifestar-se-á concretamente com um gesto de solidariedade. E para não esquecer o sofrimento das famílias do norte da Nigéria, o Pontífice enviou também a elas, através da Conferência episcopal do país, um sinal semelhante de solidariedade.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

13 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS