Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

País com uma história  muito ligada ao Papa

· Na audiência geral a saudação ao povo de Portugal a poucos dias da viagem ·

Apelo aos participantes na conferência da ONU

No final da audiência de quarta-feira, o Santo Padre saudou os diversos grupos de peregrinos presentes na praça de São Pedro, saudando de modo especial os de Portugal, país que se prepara para visitar. O Papa fez também um apelo aos participantes na conferência da ONU.

Uma saudação cordial aos grupos do Brasil, designadamente aos fiéis do Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Botucatu, e demais peregrinos de língua portuguesa. Com a Virgem Maria, neste mês que lhe é especialmente dedicado, imploremos o Espírito de Amor sobre todos os sacerdotes, para que sejam pastores segundo o Coração de Deus. Sobre vós, vossas famílias e paróquias, desça a minha Bênção.

Aproveito este momento para enviar uma saudação particular ao querido povo de Portugal, país com uma história muito ligada ao Papa, Bispo de Roma. Para lá partirei na próxima terça-feira, aceitando o convite que me foi feito pelo Senhor Presidente da República e pela Conferência Episcopal Portuguesa. Sinto-me muito feliz por poder visitar as «Terras de Santa Maria», no décimo aniversário da beatificação dos Pastorinhos de Fátima, Francisco e Jacinta Marto. A todos, sem excluir ninguém, saúdo cordialmente. Até breve, em Lisboa, Fátima e Porto!

No dia 3 de Maio passado tiveram início em Nova Iorque os trabalhos da oitava Conferência de revisão do Tratado de não-proliferação de armas nucleares. O processo em vista do desarmamento nuclear concertado e seguro está estreitamente ligado ao pleno e solícito cumprimento dos relativos compromissos internacionais. Com efeito, a paz baseia-se na confiança e no respeito pelas obrigações assumidas, e não apenas no equilíbrio das forças. Neste espírito, encorajo as iniciativas que promovem um desarmamento progressivo e a criação de áreas livres de armas nucleares, na perspectiva da sua completa eliminação do planeta. Enfim, exorto todos os participantes na reunião de Nova Iorque a superar os condicionamentos da história e a tecer pacientemente a trama política e económica da paz, para ajudar o desenvolvimento humano e integral e as autênticas aspirações dos povos.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS