Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Padre para todos

· Testemunhos recolhidos na Plaza de Mayo para o início do ministério do Papa Francisco ·

Às 5h00 da madrugada de terça-feira, a pequena Capela onde o cardeal Bergoglio costumava celebrar a Eucaristia estava fechada. Com efeito, o então purpurado preferia vir aqui, não obstante tivesse à disposição uma Capela privada, muito mais confortável. Vinha aqui porque estava no meio do povo, das pessoas comuns, as das paragens do autocarro 126, que todas as manhãs passam por este lugar para rezar aos pés da imagem de Nossa Senhora de Luján, a pequena estátua que precisamente Bergoglio, quando era cardeal, fez colocar lá em cima.

«Agradeço ao céu por nos ter doado o Papa Francisco», afirmou Julio, um homem da security com uma casaca amarelo fluorescente, por detrás das grades destinadas à Imprensa internacional para assistir em ligação directa com a praça de São Pedro à missa de início do pontificado do Papa Francisco. «Não deveríamos pensar, pelo facto de sermos argentinos, que somos melhores que os outros – observa o homem – mas estou convicto de que não podiam escolher um padre melhor. Um dom de Deus para todos e um contributo da Providência para a construção de uma Argentina melhor. Acho que seja o homem justo – concluiu – para abrir as portas a uma Igreja rigorosa sobre a qual construir os fundamentos de uma comunidade misericordiosa, que saiba perdoar e que lute pela igualdade de todos os seus irmãos».

Às 5h00 a Plaza de Mayo já estava inimaginavelmente apinhada. Das 22h00 da noite anterior tinham-se reunido na praça muitíssimos jovens para a vigília de oração, na expectativa que dos quatro ecrãs enormes transmitissem a missa. Em pequenos grupos estavam apertados em círculo bebendo mate e café. Os vendedores de churros e queijadas arrastavam as suas carrinhas driblando entre os fiéis ajoelhados e os tripés dos cameramans das televisões internacionais.

Numa grande faixa branca precisamente em frente da porta da catedral de Buenos Aires lia-se: Ante de ser Papa ya estabas com el acampe y su lucha. Gracias Su Santidad.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS