Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Os abusos no turismo destroem a vida das pessoas

· Mensagem de Bento XVI para o sétimo congresso mundial de pastoral que se realiza em Cancún no México ·

Um «turismo diferente», que seja «respeitador da dignidade das pessoas e dos povos» mais do que impregnado pelas «formas degradadas» de deformações capazes de devastar «sob o ponto de vista moral, psicológico e da saúde a vida das pessoas, de muitas famílias e, às vezes, de comunidades inteiras».

Sem rodeios o Papa denuncia a chaga persistente do «turismo sexual» assim como a prática abominável do «tráfico de seres humanos por motivos sexuais ou para transplante de órgãos». O Papa volta a falar sobre estas trstíssimas realidades na mensagem dirigida aos participantes no sétimo congresso mundial da pastoral do turismo, organizado em Cancún, no México, pelo Pontifício Conselho para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, que iniciou na manhã de segunda-feira, 23 de Abril, e se concluirá na próxima sexta-feira dia 27.

O tema do congresso, «O turismo que faz a diferença», dá atenção a considerações «sobre os perigos» e acerca dos «elementos negativos» que notoriamente ameaçam um fenómeno característico da nossa época, que deveria ser acolhido como um «espaço privilegiado»  –  escreve Bento XVI – para  a renovação física e espiritual», como ocasião de «encontro de quantos pertencem a culturas diversas» e de «aproximação à natureza». Um modo, escreve o Pontífice, para favorecer «a escuta, a contemplação, a tolerância e a paz, o diálogo e a harmonia no meio da diversidade», para redescobrir a via pulchritudinis que conduz a Deus.

Ao contrário, tudo é posto em perigo por causa «de pessoas sem escrúpulos». Eis a missão que compete, de modo particular, a quantos se dedicam à pastoral do turismo e se interessam pelo tema por motivos de trabalho e, de qualquer modo, a «toda a comunidade internacional»:  «aumentar a vigilância, prevenir e contrastar estas aberrações». A doutrina social da Igreja, a promoção de visitas «às obras que nascem da fé» e a busca de um crescimento humano e espiritual no tempo livre, são os caminhos indicados pelo Papa para um turismo  «ético e responsável».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS