Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Obrigado pelo afecto e proximidade da Igreja e do povo italiano

· O Papa recordou que o pecado contagia também os membros da comunidade cristã ·

Em São Pedro como em Fátima a multidão que reza pela conversão dos corações

«Profundo reconhecimento» pela manifestação de afecto e de proximidade da parte da Igreja e do povo italiano foi expressa por Bento XVI no final do Regina caeli de domingo, 16 de Maio, ao saudar os numerosíssimos fiéis que se reuniram na Praça de São Pedro, em resposta ao convite da Consulta nacional das agregações laicais.

Queridos irmãos e irmãs!

Dirijo hoje a minha saudação aos fiéis leigos que vieram de toda a Itália – vemos presente toda a Itália – e ao cardeal Angelo Bagnasco que os acompanha como Presidente da Conferência Episcopal. Agradeço-vos de coração, amados irmãos e irmãs, a vossa calorosa e numerosa presença! Obrigado! Aceitando o convite da Consulta Nacional das Agregações Laicais, aderistes com entusiasmo a esta bonita e espontânea manifestação de fé e de solidariedade, na qual participa também um consistente grupo de parlamentares e administradores locais. A todos gostaria de expressar o meu profundo reconhecimento. Saúdo também os milhares de imigrados, ligados connosco da Praça de São João, com o Cardeal Vigário Agostino Vallini, por ocasião da «Festa dos Povos». Queridos amigos, hoje vós mostrais o grande afecto e a profunda proximidade da Igreja e do povo italiano ao Papa e aos vossos sacerdotes, que quotidianamente se ocupam de vós, para que, no compromisso de renovação espiritual e moral possamos servir cada vez melhor a Igreja, o Povo de Deus e quantos se dirigem a nós com confiança. O verdadeiro inimigo que se deve temer e combater é o pecado, o mal espiritual, que por vezes, infelizmente, contagia também os membros da Igreja. Vivemos no mundo – diz o Senhor – mas não somos do mundo (cf. Jo 17, 10.14), mesmo se devemos preservar-nos das suas seduções. Ao contrário, devemos temer o pecado e por isto estar fortemente radicados em Deus, solidários no bem, no amor, no serviço. Foi o que a Igreja, os seus ministros, juntamente com os fiéis, fizeram e continuam a fazer com fervoroso compromisso pelo bem espiritual e material das pessoas em todas as partes do mundo. É o que sobretudo vós procurais fazer habitualmente nas paróquias, nas associações e nos movimentos: servir Deus e o homem em nome de Cristo. Prossigamos juntos com confiança este caminho, e as provas, que o Senhor permite, nos estimulem a maiores radicalidade e coerência. É belo ver hoje esta multidão na Praça de São Pedro como foi emocionante para mim ver em Fátima a imensa multidão que, na escola de Maria, rezou pela conversão dos corações. Renovo hoje este apelo, confortado pela vossa presença tão numerosa! Obrigado! Mais uma vez, obrigado a todos vós!

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS