Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​O tesouro dos mártires

· ​A uma peregrinação de El Salvador o Pontífice recorda o testemunho do beato Romero e numa mensagem reafirma que combater o tráfico é um imperativo moral ·

O testemunho de Óscar Arnulfo Romero, «pastor bom, cheio de amor a Deus e próximo dos seus irmãos», foi reproposto pelo Papa Francisco a uma peregrinação de El salvador recebida em audiência na manhã de sexta-feira, 30 de Outubro, na Sala Régia. Desta maneira os bispos do país, juntamente com autoridades políticas e civis, sacerdotes, seminaristas, religiosos, religiosas e leigos, quiseram agradecer ao Pontífice a beatificação do prelado salvadorenho, assassinado a 24 de Março de 1980 e elevado às honras dos altares a 23 de Maio passado.

Romero, recordou Francisco, viveu «o dinamismo das bem-aventuranças» chegando «até ao dom da própria vida, de modo violento, enquanto celebrava a Eucaristia, sacrifício do amor supremo». E o seu martírio, disse, «não se verificou só no momento da sua morte; foi um martírio-testemunho, sofrimento anterior, perseguição anterior, até à sua morte. Mas também posterior, porque depois de morto – eu era um sacerdote jovem e fui testemunha disso – difamaram-no, caluniaram-no, sujaram a sua memória, ou seja, o seu martírio continuou até por parte dos seus irmãos no sacerdócio e no episcopado».

Aos fiéis do país o Papa indicou o exemplo de Romero e dos outros mártires como «um tesouro e uma fundada esperança para a Igreja e para a sociedade salvadorenha», convidando-os a prosseguir na «busca da verdadeira justiça, da paz autêntica e da reconciliação dos corações».

E numa mensagem enviada a um encontro que se realiza nesses dias em Madrid, o Pontífice voltou a denunciar o tráfico de seres humanos e a pedir que se multipliquem os esforços para «libertar as vítimas das novas escravidões, reabilitando-as, assim como os prisioneiros e os excluídos, e desmascarar os traficantes e quantos criam este mercado».

Discurso Papa 

Mensagem ao encontro de Madrid 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS