Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O sonho de Agostinho

· Aos agostinianos recoletos o Papa pediu que sejam homens de esperança ·

Ser «homens de esperança» e «criadores de comunhão» para viver como irmãos com «uma só alma e um só coração»: foi este «o sonho de santo Agostinho», disse o Papa Francisco aos participantes no quinquagésimo capítulo geral dos Agostinianos Recoletos, recebidos em audiência na manhã de quinta-feira, 20 de outubro, na Sala Clementina.

Ao exortar os religiosos a fazer «grata memória» do passado, o Pontífice recordou que precisamente desta «ação de graças» nasce o impulso «a viver o presente com paixão de modo cada vez mais corajoso». Em particular Francisco convidou a «criar, com a nossa presença no meio do mundo, uma sociedade capaz de reconhecer a dignidade de cada pessoa e de partilhar o dom que cada um é para o outro».

«Muitas pessoas – garantiu – esperam que vamos ter com elas e que olhemos para elas com a ternura que sentimos e recebemos da nossa relação com Deus. Este é o poder que temos, não o dos nossos ideais e projetos pessoais; mas a força da sua misericórdia que transforma e dá vida». Eis então a necessidade de viver no mundo comprometendo-se «a fim de que não haja divisões nem conflitos ou exclusão, mas reine a concórdia e se promova o diálogo».

Discurso do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS