Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​O sino da liberdade

Diante do Independence Hall de Filadélfia – local onde foram escritas e assinadas as liberdades que definem os Estados Unidos, sancionando a igualdade de todos os homens e mulheres – na tarde de sábado, 26 de Setembro, o Papa Francisco evidenciou a importância de defender em particular uma dessas liberdades, a religiosa, ameaçada por tiranias modernas que procuram suprimi-la ou reduzi-la a uma subcultura. E lançou um apelo a fim de que os seguidores de diversas crenças se unam «para invocar a paz, a tolerância, o respeito e a dignidade e os direitos dos outros». O Pontífice aproveitou a ocasião para se dirigir aos imigrados, sobretudo hispânicos, sublinhando o alto preço que alguns deles pagam para ter uma vida nova. Mas exortando-os também a não se envergonhar das suas tradições, a ter esperança, cientes de que, oferecendo o seu contributo, cada um poderá encontrar o próprio lugar e ajudar a renovar a sociedade.

Portanto, viveu-se um encontro importante no Independence National Historical Park, dedicado ao tema da liberdade religiosa com a comunidade hispânica e com outros imigrados. Significativa a escolha do lugar, como salientou o próprio Francisco no seu discurso. Na área, que hospeda também o City Hall, sede do município de Filadélfia, surgem muitos monumentos e edifícios ligados à revolução americana e portanto é uma área-símbolo da história da nação e também da cidade. De facto, no pináculo da torre do City Hall – que com os seus 167 metros foi a segunda construção mais alta do mundo de 1901 a 1983 – está a estátua de William Penn, o fundador do Estado e inspirador dos valores de liberdade religiosa que estão na sua base. No Independence Hall, atrás do palco preparado para o encontro, foram debatidas e adoptadas a Declaração de independência e a Constituição dos Estados Unidos da América, e ali ainda se conserva o «sino da liberdade». Não só. O ponto escolhido para o discurso do Papa foi o mesmo no qual Abraham Lincoln içou a bandeira da independência e o atril foi o que o presidente utilizou para pronunciar o célebre discurso de Gettysburg sobre os princípios de igualdade e liberdade fundadores da União.

Gaetano Vallini

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS