Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O que mudou?
Agora veste-se de branco

· No dia do genetlíaco do Papa, o director-geral da emissora argentina Canal 21 conta a sua amizade com Bergoglio ·

«Agora já não é só nosso, é de todos, mas a proximidade tornou-se ainda maior, apesar dos milhares de quilómetros que nos separam». Quem fala é Julio Rimoldi, director-geral de Canal 21, a emissora da diocese de Buenos Aires, ao contar a sua amizade com o «padre Jorge» num encontro com o nosso director e com quem escreve na sede de l’Osservatore Romano.

«Esta é a minha terceira visita, explica Rimoldi – vim pela primeira vez para o meu aniversário, a 25 de Junho passado, depois passei mais de um mês entre Madrid e Roma e tive outros encontros em Setembro. Agora estou aqui para o seu genetlíaco. Em Junho estive em Itália por motivos de trabalho — tinha uns assuntos a tratar com o Centro Televisivo Vaticano, e falar com o padre Federico Lombardi e com o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais — mas na realidade havia também uma razão do coração: tinha uma grande vontade de ver Bergoglio Papa. Em Buenos Aires tínhamos o hábito, no meu aniversário, de festejar comendo uma fatia de bolo e almoçando juntos. Conhecemo-nos em 1992, e a partir de 2004 — desde que teve início Canal 21, a televisão da arquidiocese de Buenos Aires — víamo-nos quase todos os dias; a tv era para ele um projecto importante, reconhecia a importância do meio televisivo como um válido instrumento de evangelização, mas também se preocupava muito porque algumas experiências precedentes na Argentina não tinham sido positivas e uma emissora tem despesas elevadas.

Este episódio diz muito do modo de ser de Francisco. É um homem de grande discernimento: deixa as grandes decisões nas mãos do Senhor. Recordo que me disse: vamos apresentar o projecto à Conferência episcopal. Se for aprovado, é o sinal que o Senhor me dá para ir em frente, por agora confiemos tudo a são José. Talvez no seu coração esperasse que não o aprovassem – era um momento do ano difícil e uma situação muito delicada – mas o êxito foi positivo e começámos. A partir de então a nossa amizade tornou-se mais estreita. É impossível trabalhar com ele e não ser influenciado pela sua personalidade; é um pai, alguém que se preocupa por quem está ao seu lado».

«Na televisão – prossegue Rimoldi - eram transmitidas só as suas mensagens de saudação de Natal e Páscoa. O único programa no qual aceitou participar foi «Biblia, diálogo vigente», juntamente com o rabino Abraham Skorka e o biblista protestante Marcelo Figueroa: trinta e duas emissões, porque a trigésima terceira não foi gravada; «fá-la-ei quando voltar para casa» disse-me antes de partir para o conclave. Pensando bem, «Biblia, diálogo vigente» é o único programa no mundo com um sucessor de Pedro, no qual sobressai claramente o pensamento de Bergoglio sobre vários temas. Agora chamam-nos a tv do Papa. Estamos cientes de nos termos tornado um ponto de referência importante, também a nível educativo: por isso organizamos cursos gratuitos de técnica vídeo e crítica cinematográfica. Outra coisa importante sobre a nossa emissora: o vice-director de Canal 21 é uma mulher. Bergoglio não é misógino.

Em Junho eu sabia que ia encontrar um amigo, e não pensava que ia ficar muito surpreendido, mas quase desmaiei de emoção. E apesar de tudo ainda é como quando estávamos no mesmo edifício, quando eu descia do décimo ao segundo andar para o cumprimentar, mesmo se agora nos separam milhares de quilómetros. Quando me recebeu em Santa Marta, a primeira vez, olhei à minha volta e disse-lhe: «Este lugar não é adequado para ti: há uma televisão». «Sim, mas não a vejo» respondeu. «Então por que está no teu quarto?». «Para me recordar de vós». Antes vestia-se de preto. Agora de branco; mas não mudou: é mais feliz do que antes. Tem o sorriso que tinha em Buenos Aires, mas ainda mais luminoso e certo. Na Argentina há uma publicidade muito bonita, não irreverente, deveras muito bem feita que anuncia o campeonato mundial de futebol de 2014 no Brasil usando como protagonista o Papa Francisco; o canal televisivo desportivo TyC Sports fez um mistura de imagens e sons tirados de alguns jogos da selecção argentina e da visita ao Rio De Janeiro, no dia 22 de Julho passado, por ocasião da Jornada mundial da juventude. O vídeo termina com o gracejo: «Se um argentino fez isto no Brasil, imaginai vinte e três».

Silvia Guidi

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

12 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS