Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O pranto do coração pelos mortos de Lampedusa

· No Angelus o Pontífice recorda a visita a Assis e convida a rezar pelas vítimas da desgraça ·

«Deixemos que o nosso coração chore. Rezemos em silêncio. A indignação pela vergonha suscitada pela tragédia de Lampedusa deixou espaço à oração ontem, domingo 6 de Outubro, nas palavras do Papa Francisco. Com efeito, depois da recitação do Angelus o Pontífice pediu aos fiéis presentes na praça de São Pedro que «recordassem as pessoas que perderam a vida em Lampedusa, na quinta-feira passada. Rezemos todos em silêncio por estes nossos irmãos e irmãs: mulheres, homens, crianças...».

Anteriormente o Papa quis «dar graças a Deus» pela visita feita a Assis na sexta-feira dia 4». «Sabeis – confidenciou – que foi a primeira vez que fui a Assis e foi um grande dom fazer esta peregrinação precisamente na festa de são Francisco. Agradeço ao povo de Assis pelo acolhimento caloroso: muito obrigado».

Depois, comentando o trecho evangélico da liturgia do XXVII domingo do tempo comum, recordou que «é suficiente ter um pouco de fé, mas deve ser verdadeira, sincera, para fazer coisas humanamente impossíveis, impensáveis». Todos «conhecemos pessoas simples, humildes, mas – prosseguiu – com uma fé fortíssima que movem deveras as montanhas! Pensemos, por exemplo, em certas mães e pais que enfrentam situações muito pesadas; ou em certos doentes, até gravíssimos, que transmitem serenidade a quem os vai visitar».

Por fim o Papa dirigiu um pensamento aos missionários «que para levar o Evangelho superaram obstáculos de todos os géneros, deram deveras a vida».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS