Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O poder de Cristo é serviço

· Na mensagem natalícia Francisco repetiu o grito das crianças assassinadas também hoje ·

Com o pensamento nas situações mais tristes e dolorosas que a humanidade experimenta em várias regiões do planeta, o Papa Francisco dirigiu a tradicional mensagem natalícia à cidade e ao mundo, invocando o dom da paz. Paz, antes de tudo, para as crianças «vítimas de violência» com demasiada frequência «objecto de comércio ou obrigadas a tornar-se soldados» – disse da Varanda da Bênção ao meio-dia de 25 de Dezembro. 

Em particular, o Pontífice quis homenagear as crianças recentemente assassinadas no Paquistão e as pequenas vítimas da epidemia do ébola na Libéria, Serra Leoa e Guiné. E, acrescentando ao texto preparado uma breve reflexão pessoal, recordou «todas as crianças hoje assassinadas e maltratadas, aquelas que o são antes de ver a luz, as desabrigadas por causa das guerras e perseguições, abusadas e exploradas sob os nossos olhos e o nosso silêncio cúmplice». E até «massacradas sob os bombardeios, também onde o filho de Deus nasceu. Ainda hoje – foi a denúncia de Francisco – o seu silêncio impotente clama sob a espada de muitos Herodes. Sobre o seu sangue estende-se a sombra dos actuais Herodes. Deveras neste Natal há muitas lágrimas juntamente com as lágrimas do Menino Jesus».

Texto da mensagem do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

21 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS