Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O pároco do mundo

· Um ano de Pontificado narrado pelo secretário particular do Papa Francisco ·

Trabalha incessantemente e para se descontrair recita o terço

A três dias do primeiro aniversário da eleição do Papa Francisco a Rádio Vaticano publicou a 10 de Março uma entrevista a monsenhor Alfred Xuereb, secretário particular do Pontífice e prelado secretário-geral da Secretaria para a economia concedida a Alessandro Gisotti.

«O senhor faz-me reviver tantas emoções e também inúmeras recordações muito profundas», disse monsenhor Xuereb. «Foram momentos particulares – prossegue – que certamente passarão à História. Um Papa que deixa o seu Pontificado... De 28 de Fevereiro, o último dia do Pontificado de Bento XVI, quando deixámos para sempre o Palácio Apostólico, até 15 de Março, portanto até dois dias depois da eleição do novo Papa, permaneci com o Papa emérito em Castel Gandolfo para lhe fazer companhia e também ajudá-lo no seu trabalho de secretaria. O momento de deixar o Papa Bento XVI para mim foi muito atormentado, porque tive a ventura de viver durante cinco anos e meio com ele e deixá-lo, afastar-me dele, foi muito difícil. A situação precipitou-se, eu não sabia precisamente em que dia teria que fazer as malas e deixar Castel Gandolfo e também o Papa Bento. Mas do Vaticano diziam-me que me preparasse, que fizesse as malas e fosse para a Casa de Santa Marta porque o Papa Francisco estava até a abrir a correspondência sozinho: não tinha um secretário que o ajudasse».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS