Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O Papa recebeu o Presidente do Conselho dos ministros italiano

Na manhã de sábado, 14 de Janeiro, Bento XVI recebeu o presidente do Conselho dos ministros da República italiana, o senador e professor Mario Monti. Um encontro cuidadosamente preparado e realizado na Biblioteca particular do Palácio Apostólico, num clima de cordialidade que testemunha o estado excelente das relações entre a Itália e a Santa Sé. Durante o colóquio foram abordados temas de solidariedade social no contexto da crise económica, sobretudo na óptica europeia. No final, o chefe do Governo italiano apresentou ao Papa a sua esposa e a delegação que o tinha acompanhado, e ofereceu ao Pontífice alguns volumes, entre os quais uma edição antiga de cartas náuticas realizada pela Casa da Moeda italiana, e o seu livro Il governo dell’economia e della moneta. Contributi per un’Italia europea , editado pela Longanesi em 1992, no mesmo ano em que foi publicada a tradução italiana da obra de Joseph Ratzinger Wendezeit für Europa? Retribuindo, Bento XVI ofereceu-lhe uma caneta-tinteiro, que reproduz uma coluna do baldaquino de Bernini no altar da Confissão na Basílica vaticana, e uma gravura antiga que representa a praça de São Pedro com a basílica em construção.

Após a audiência pontifícia, o presidente Monti e a sua delegação encontraram-se com o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado de Sua Santidade, acompanhado de monsenhor Ettore Balestrero, subsecretário para as Relações com os Estados.

Durante o encontro foram enfrentados temas sobre a situação social italiana e o relativo compromisso do Governo, e acerca da contribuição da Igreja católica para a vida do país. Houve também uma análise dos aspectos do cenário internacional actual, desde a Europa até à situação na área mediterrânea meridional. Enfim, detiveram-se sobre a tutela das minorias religiosas, sobretudo cristãs, nalgumas áreas do mundo.

As duas partes confirmaram a vontade de continuar a colaboração construtiva a nível bilateral e no contexto da comunidade internacional.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS