Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O Papa Francisco na Suécia
para comemorar os quinhentos anos
da reforma protestante

· A 31 de Outubro em Lund a participação na comemoração ecuménica conjunta com a Federação luterana mundial ·

O Santo Padre irá no próximo dia 31 de Outubro à Suécia, para comemorar os quinhentos anos da reforma protestante. O anúncio do acontecimento histórico foi dado significativamente na manhã de segunda-feira 25 de Janeiro, festa da conversão de são Paulo e dia conclusivo da semana de oração pela unidade dos cristãos, através de um comunicado da Sala de imprensa da Santa Sé. «Sua Santidade Francisco – lê-se no comunicado – tenciona participar na cerimónia conjunta entre a Igreja católica e a Federação luterana mundial, para comemorar o 500º aniversário da Reforma, prevista em Lund, Suécia, segunda-feira 31 de Outubro de 2016».

Simultaneamente, foi divulgado um comunicado conjunto da Federação luterana mundial (Lwf) e do Pontifício conselho para a promoção da unidade dos cristãos, no qual se especifica que a comemoração ecuménica será presidida por Francisco juntamente com o bispo Munib A. Younan e com o reverendo Martin Junge, respectivamente presidente e secretário-geral da Lwf, em colaboração com a Igreja de Suécia e com a diocese católica de Estocolmo.

A comemoração conjunta – explicam os promotores no comunicado – dará especial ênfase aos sólidos progressos ecuménicos entre católicos e luteranos e aos dons recíprocos que derivam do diálogo. O acontecimento prevê uma celebração conjunta baseada no guia litúrgico católico-luterano Common Prayer (“Oração comum”), publicada recentemente.

Por sua vez, «a Federação luterana mundial prepara-se para comemorar o aniversário da Reforma» – programada para 2017 – «com um espírito de responsabilidade ecuménica», como foi afirmado pelo secretário-geral Junge, o qual diz estar «profundamente convicto de que trabalhando para a reconciliação entre luteranos e católicos, agimos em prol da justiça, da paz e da reconciliação num mundo dilacerado pelos conflitos e pela violência». Quem deu voz às expectativas da Igreja católica foi o cardeal Kurt Koch, presidente do dicastério ecuménico: «Concentrando-se juntos sobre a centralidade da questão de Deus e sobre uma abordagem cristocêntrica – explica – os luteranos e os católicos terão a oportunidade de celebrar uma comemoração ecuménica da reforma, não simplesmente de forma programática, mas com um sentido profundo da fé em Cristo crucificado e ressuscitado».

Também a nível local não faltam os consensos: «É com alegria e esperança que acolheremos a Lwf e a Igreja católica em Lund» afirma o arcebispo Antje Jackelén da Igreja da Suécia, explicando: «Rezaremos juntamente com toda a família ecuménica da Suécia a fim de que esta comemoração contribua para a unidade dos cristãos no nosso país e no mundo inteiro».

Declarações que encontraram eco no bispo católico de Estocolmo, o carmelita descalço Anders Arborelius, que observa: «A situação ecuménica na nossa parte do mundo é única e interessante. Espero que este encontro nos ajude a olhar para o futuro de forma a sermos testemunhas de Jesus Cristo e do seu Evangelho no nosso mundo secularizado».

O evento que ocorrerá em Lund, aliás, insere-se no processo de recepção do documento de estudo From Conflict to Communion, («Do conflito à comunhão») publicado em 2013, que desde então foi amplamente divulgado entre as comunidades luteranas e católicas. Trata-se da primeira tentativa das duas partes de descrever juntos, a nível internacional, a história da reforma e das suas motivações. Além disso, recentemente a Lwf e o Pontifício conselho para a promoção da unidade dos cristãos enviaram às igrejas que pertencem à Federação luterana e às Conferências episcopais católicas o texto da Common Prayer preparada juntos: um guia litúrgico para ajudar a comemorar juntos o aniversário, que servirá como base também para a celebração de Lund. Este funda-se no documento de estudo From Conflict to Communion: Lutheran-Catholic Common Commemoration of the Reformation in 2017. («Do conflito à comunhão: comemoração conjunta luterano-católica da reforma em 2017») e aborda diversos temas – entre os quais a acção de graças, o arrependimento e o compromisso no testemunho comum – a fim de expressar os dons da reforma e pedir perdão pelas divisões que surgiram depois das disputas teológicas.

Por fim, deve ser recordado que em 2017 se celebrará também o cinquentenário do diálogo internacional luterano-católico, do qual surgiram relevantes resultados ecuménicos, entre os quais o mais significativo foi a Joint Declaration on the Doctrine of Justification («Declaração conjunta sobre a doutrina da justificação»), assinada pela Lwf e pela Igreja católica em 1999, e acolhida também pelo Conselho metodista mundial em 2006. A declaração teve o mérito de anular disputas que perduram há séculos entre católicos e luteranos acerca de verdades fundamentais da doutrina da justificação, no centro da reforma do século XVI.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

10 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS