Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O medo das crianças iraquianas

· A ofensiva dos jihadistas consolida um cenário de morte e desolação ·

Sem casa, desprovidas de meios de subsistência e apavoradas: esta é a realidade para numerosíssimas crianças deslocadas por causa das violências desencadeadas nas últimas semanas no Iraque com a ofensiva dos milicianos do Estado islâmico do Iraque e do Levante (Isis). Uma realidade denunciada ontem pela Unicef, na qual se frisa que os mais pequeninos vivem aterrorizados porque ao seu redor encontram um cenário de morte e destruição. Mas como evidenciou um representante da agência da Onu para os menores no Iraque, após uma visita à localidade de Tel Keif ao norte de Mossul, existe mais uma questão fundamental que é preciso ter bem presente: ou seja, o risco de epidemias, alimentado inclusive pela fuga de massa, em condições de verdadeira emergência, de milhares de civis em busca de lugares mais seguros.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS