Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O Conselho de cardeais sobre leigos e família

· Em Setembro a próxima reunião ·

O Conselho de cardeais reunido na casa de Santa Marta terminará as suas reuniões na tarde de sexta-feira, 4 de Julho. O calendário dos próximos encontros foi estabelecido: 15-17 de Setembro; 9-11 de Dezembro; 9-11 de Fevereiro de 2015, comunicou o director da Sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, durante um briefing para os jornalistas realizado nesta manhã.

Em relação aos temas tratados, além dos já indicados nos dias passados (Governatorado do Estado da Cidade do Vaticano, Secretaria de Estado, Instituto para as obras de religião), reflectiu-se novamente sobre os organismos da Cúria. Foi dedicado um aprofundamento particular aos leigos e à família e mais especificamente ao contributo e ao papel que devem desempenhar nesta perspectiva os leigos, casais e mulheres. «Não foram tomadas decisões – especificou o padre Lombardi – mas aprofundaram-se algumas propostas, as quais serão inseridas no quadro completo da nova configuração da Cúria».

Na tarde de hoje, a reunião continuará para tratar de dicastérios que até agora foram estudados menos aprofundadamente. Outros temas sobre os quais houve um intercâmbio no decorrer das reuniões relacionam-se com as nunciaturas, o seu trabalho e os procedimentos para a nomeação dos bispos.

Além da Comissão cardinalícia de vigilância do Ior, ouvida na terça e quarta-feira, não houve outras participações externas ao Conselho. O director da Sala de imprensa referiu que os trabalhos se realizam num clima de satisfação. O tom dos trabalhos foi descrito como free, frank and friendly; isto é, «caracterizado por grande liberdade de expressão, sinceridade e franqueza, cordialidade e espírito amigável».

«O Papa – frisou o padre Lombardi – insere-se no diálogo com naturalidade, favorecendo o clima de liberdade de expressão». Por fim, o director da Sala de imprensa confirmou que ainda não há textos que podem ser considerados esboços da nova Constituição, «porque se procede com contributos ainda parciais, apresentados geralmente por cardeais encarregados de estudar um determinado argumento».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

18 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS