Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

O caminho de Pisla Gitana da Alsácia

Pisla não sabe ler nem escrever, e no entanto (ditando-o à filha) publicou um livro sobre o qual a França está a falar muito, Sur ce chemin où nos pas se sont effacés ... (La Nuée Bleue, 2012). Nele, Louise Helmstetter, 86 anos, conhecida como Pisla, narra a sua história de gitana da Alsácia: «nada nos pertence, mas nós pertencemos ao mundo e vivemos em harmonia com ele». Esta mulher belíssima, com o seu aspecto de pele-vermelha radiosa, era uma presença fixa  há mais de meio século na peregrinação anual dos ciganos às Saintes-Maries-de-la-Mer, o maior encontro gitano da Europa que todos os meses de Maio vê Camargue em festa povoada por peregrinos reunidos em honra de santa Sara «a Negra», protetora de todos os ciganos e itinerantes do mundo. Todavia, no ano que vem, Pisla não irá: nascida em 1926 numa caravana nas colinas da Alsácia, já se sente demasiado idosa. Por isso, narrou a sua história, indicando – ela, considerada a fiel mais idosa em caminho rumo a Camargue -  a estrada a quem quiser escutá-la.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS