Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Nova credibilidade moral após o escândalo dos abusos

· Encontro do Papa com os Bispos irlandeses ·

Publicamos a seguir o texto do comunicado divulgado no final do encontro do Papa com os Bispos da Irlanda, realizado nos dias 15-16 de Fevereiro no Vaticano.

Nos dias 15-16 de Fevereiro de 2010, o Santo Padre encontrou-se com os Bispos irlandeses e os membros mais eminentes da Cúria Romana, para debater sobre a séria situação que se verificou na Igreja na Irlanda. Juntos, eles examinaram como as autoridades eclesiásticas irlandesas, durante muitos anos, foram incapazes de agir eficazmente em relação aos casos que envolveram o abuso sexual contra jovens, cometido por alguns clérigos e religiosos irlandeses. Todas as pessoas presentes reconheceram que esta grave crise levou a uma diminuição da confiança na liderança da Igreja e prejudicou o seu testemunho do Evangelho e o seu ensinamento moral.

O encontro teve lugar num espírito de oração e de fraternidade colegial, e a sua atmosfera sincera e aberta conferiu orientação e ajuda aos Bispos, nos próprios esforços em vista de enfrentar esta situação nas suas respectivas Dioceses.

Na manhã de 15 de Fevereiro, a seguir a uma breve introdução do Santo Padre, cada um dos Bispos irlandeses apresentou as próprias observações e sugestões. Os Bispos falaram sinceramente do sentido de dor e raiva, atraiçoamento, escândalo e vergonha, que lhes foi manifestado em numerosas ocasiões por parte das pessoas abusadas. A este respeito, reflectiu-se também um análogo sentido de ultraje por parte de leigos, sacerdotes e religiosos.

De igual modo, os Bispos descreveram o apoio que actualmente está a ser oferecido por milhares de voluntários leigos, formados e dedicados a nível paroquial, para garantir a segurança em todas as actividades da Igreja, ressaltando que, embora não haja dúvida de que erros de juízo e omissões estão no âmago da crise, agora foram tomadas providências significativas para garantir a segurança das crianças e dos jovens. Eles ressaltaram inclusive o seu compromisso a cooperar com as autoridades competentes na Irlanda – Norte e Sul – e com a National Board for Safeguarding Children da Igreja católica na Irlanda, a fim de garantir que os critérios, as políticas e os procedimentos da Igreja representem a melhor prática nesta área.

Por sua vez, o Santo Padre observou que o abuso sexual contra as crianças e os jovens não é apenas um crime hediondo, mas também um pecado grave que ofende a Deus e fere a dignidade da pessoa humana, criada à sua imagem. Não obstante compreenda que esta dolorosa situação não se resolverá rapidamente, ele desafiou os Bispos a enfrentar os problemas do passado com determinação e decisão, abordando a crise actual com honestidade e coragem. Ele manifestou também a esperança de que o presente encontro ajude a unir os Bispos e a torná-los capazes de falar em uníssono para dar passos concretos em vista de curar aqueles que sofreram os abusos, encorajando uma renovação da fé em Cristo e restabelecendo a credibilidade espiritual e moral da Igreja.

O Santo Padre mencionou ainda a crise mais geral da fé que está a atingir a Igreja, explicando-a com a falta de respeito pela pessoa humana, e o modo como o debilitamento da fé tem sido um factor que contribui de maneira significativa para o fenómeno do abuso sexual contra menores. Ele frisou a necessidade de uma reflexão teológica mais profunda a propósito de toda esta questão, exortando a uma melhor preparação humana, espiritual, académica e pastoral, tanto dos candidatos ao sacerdócio e à vida religiosa, como daqueles que já foram ordenados e fizeram a profissão.

Os Bispos tiveram a oportunidade de examinar e debater um esboço da Carta Pastoral do Santo Padre aos católicos na Irlanda. Tendo em consideração os comentários feitos pelos Bispos irlandeses, Sua Santidade completará agora a sua Carta, que será publicada durante o próximo tempo de Quaresma.

Os debates concluíram-se no final da manhã de terça-feira, 16 de Fevereiro de 2010. Enquanto os Bispos regressam às suas Dioceses, o Santo Padre exortou a fim de que esta Quaresma seja vivida como um tempo para implorar a abundância da misericórdia de Deus e dos dons de santidade e de fortaleza do Espírito sobre a Igreja que está na Irlanda.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS