Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

No Médio Oriente os cristãos não são estrangeiros

· O prefeito da Congregação para as Igrejas orientais relança os apelos do Papa ·

«A violência deve ser superada com a paz». É a invocação do cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas orientais, que dos Estados Unidos da América relançou os repetidos apelos do Papa Francisco a favor dos cristãos perseguidos e da cessação das hostilidades nas diversas áreas do Médio Oriente ensanguentadas por conflitos.

O purpurado foi convidado pela comunidade libanesa de Los Angeles para celebrar na catedral maronita, no domingo 20 de Julho, a festa dos santos Charbel e Elias. Dirigindo-se aos cerca de quatrocentos fiéis presentes, o cardeal Sandri expressou a sua dor pelo destino desesperado de tantas pessoas inocentes, em particular pelos cristãos de Mossul no Iraque e em Aleppo na Síria. «As suas casas e igrejas - recordou – foram saqueadas e incendiadas». Mas «se hoje eles são os mais ameaçados», na realidade é toda a região que se encontra «na insegurança, infelizmente favorecida pela indiferença de muitos». Basta pensar na Terra Santa, de onde continuam a chegar notícias preocupantes sobre o agravar-se das violências.

A este propósito o purpurado falou de uma Palestina «em lágrimas», cujos habitantes não podem ser pessoas e cristãos «com serenidade e dignidade. As suas lágrimas são as nossas – acrescentou – mas nós partilhamos a mesma esperança que é Cristo; e Jesus Cristo é fiel. Por isso perseveramos juntos no mesmo caminho».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS