Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Nem só de pão

· O cardeal Parolin no congresso sobre a gestão dos bens eclesiásticos dos institutos religiosos ·

Sem alma não há spending review que sobreviva. E não é por acaso se numa gestão económica, não obstante poupanças e restrições, os poucos «pães e peixes» que procuramos desesperadamente salvar acabam por diminuir sem explicação.

Foi à alma da chama da fé e da caridade que o secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, se referiu na noite de sábado, 8 de Março, ao falar durante as primeiras vésperas do primeiro domingo de Quaresma, na basílica de Santo António no Latrão, no final do primeiro dia do seminário internacional sobre «Gestão dos bens eclesiásticos dos institutos de vida consagrada e das sociedades de vida apostólica. Ao serviço do humanum e da missão na Igreja», organizado pelo dicastério vaticano dos religiosos e concluído no domingo 10 no Antonianum.

Inspirando-se no trecho do evangelho de Mateus «nem só de pão vive o homem mas de toda a palavra que sai da boca de Deus» (4, 4), o cardeal propôs uma reflexão sobre o tema dos trabalhos, oferecendo alguns critérios para uma correcta gestão dos bens dos institutos religiosos. Comentando que «os recursos disponíveis são uma providência que se devem acolher e gerir com sabedoria», o secretário de Estado confirmou a necessidade de «agir responsavelmente, adoptando critérios de economicidade e transparência, de modo que o conselho evangélico da pobreza seja coerentemente reflectido pela gestão dos bens tanto no seu conjunto como nas escolhas particulares».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS