Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Nas comunidades cristãs ninguém seja marginalizado

· Angelus no final da celebração eucarística ·

No final da Santa Missa o Sumo Pontífice recitou a oração do Angelus juntamente com os fiéis reunidos no Foro itálico. Antes da prece mariana, o Santo Padre recordou a figura de Anna Maria Adorni, beatificada na tarde desse mesmo dia 3 de Outubro, em Parma (Itália).

Amados irmãos e irmãs!

Neste momento de profunda comunhão com Cristo, presente e vivo no meio de nós e em nós, como família eclesial é bom que nos dirijamos em oração à sua e nossa Mãe, Maria Santíssima Imaculada. A Sicília está constelada de Santuários marianos, e neste lugar sinto-me espiritualmente no centro desta «rede» de devoção, que une todas as cidades e todos os povoados da Ilha.

Desejo confiar à Virgem Maria todo o povo de Deus que vive nesta amada terra. Que Ela sustente as famílias no amor e no compromisso educativo; torne fecundos os germes de vocação que Deus lança generosamente no meio dos jovens; infunda coragem nas provações, esperança nas dificuldades e renovado impulso no cumprimento do bem. Nossa Senhora conforte os doentes e todas as pessoas que sofrem, ajudando as comunidades cristãs a fim de que nelas ninguém seja marginalizado nem se encontre em necessidade, mas cada um, especialmente os menores e mais frágeis, se sinta acolhido e valorizado.

Maria é o modelo da vida cristã. Peço-lhe, sobretudo, que vos faça percorrer rápida e alacremente o caminho da santidade, seguindo os passos de muitas testemunhas luminosas de Cristo, filhos da terra siciliana. Neste contexto, desejo recordar que hoje, em Parma, é proclamada Beata Anna Maria Adorni, que no século XIX foi esposa e mãe exemplar e, em seguida, tendo ficado viúva, se dedicou à caridade para com as mulheres encarceradas e em dificuldade, para cujo serviço fundou dois Institutos religiosos. Em virtude da sua oração constante, Madre Adorni era chamada «Rosário vivo». Apraz-me relevá-lo no início do mês dedicado ao santo Rosário. A meditação quotidiana dos mistérios de Cristo em união com Maria, Virgem orante, nos fortaleça a todos na fé, na esperança e na caridade.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS