Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Não podemos esperar diante de uma porta aberta

· Igreja e cultura em Portugal ·

O âmbito da cultura em Portugal tem apostado numa significativa mudança de paradigma ao tornar acessível um património que, em décadas anteriores, estava apenas circunscrito às elites intelectuais. Os grandes centros de cultura, nomeadamente Museus, Fundações, Galerias de Arte, Teatros e Universidades (para referir apenas alguns exemplos), têm vindo a promover espetáculos, conferências, fóruns, exposições, cursos, onde se projetam temáticas multidisciplinares abertas ao público em geral. Qualquer cidadão poder abeirar-se de um amplo leque de atividades culturais e intelectuais, de grande interesse formativo, que têm como objetivo permear o tecido social. Nas últimas décadas, a cultura dita de elites abriu ao espaço público promovendo também os designados «espetáculos de rua». Neste contexto, já ninguém é excluído do acesso à cultura.

Seguindo uma linha de orientação similar, a Igreja em Portugal tem dado passos significativos para uma maior divulgação do respetivo património religioso e cultural. Com renovado interesse, no intuito de estabelecer o diálogo entre cultura secular e cultura religiosa, a Comissão Episcopal da Cultura - através do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura e do departamento dos Bens Culturais da Igreja - tem promovido iniciativas, abertas ao público, que se realizam em diversas zonas do País. São exemplo disto a «Rota das Catedrais», num acordo de cooperação entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa, a revista cultural «Invenir» em parceria com a Rede Nacional de Museus, os «Encontros na Capela» que promove o diálogo entre Igreja e artistas, os concertos de música sacra, a sensibilização na área da conservação e restauro e, também, as ações de formação para guias e agentes de turismo. Tudo isto revela um crescente e salutar interesse pela integração da Igreja no espaço público comum à cultura secular.

( O texto integral na edição semanal em língua portuguesa de L'Osservatore Romano )

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS