Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Não para fazer carreira mas para servir

· O Papa explica por que ser sacerdotes ·

A vocação do presbítero não é «fazer carreira» mas realizar entre os homens a «missão de mestre, sacerdote e pastor» que Jesus lhe confiou. Deste «serviço» falou o Papa Francisco aos dez sacerdotes ordenados na manhã de domingo 7 de maio, durante a celebração eucarística presidida na basílica de São Pedro. Sete deles são italianos – quatro romanos – e os outros três provêm do México, do Peru e do Azerbaijão.

Durante a liturgia o Pontífice pronunciou a homilia ritual prevista na edição italiana do pontifical romano para a ordenação dos presbíteros, acrescentando algumas considerações improvisadas dirigidas expressamente aos novos sacerdotes. Em particular Francisco exortou-os a dispensar aos homens a Palavra e a alimentar o povo de Deus com uma doutrina «simples, como falava o Senhor, que chegava ao coração» de todos: «Não façais – recomendou – homilias demasiado intelectuais e elaboradas: falai de maneira simples, falai aos corações. E esta pregação será verdadeiro alimento».

O Papa recordou também que «sem o exemplo» de uma vida coerente a palavra «não serve». Eis, portanto, a admoestação contra a tentação da «vida dupla», definida «uma doença grave na Igreja». Depois, o Pontífice convidou a inserir sempre o sacerdócio no «mistério da morte e ressurreição do Senhor». Porque, afirmou, «um presbítero que estudou» mas «que não aprendeu a carregar a cruz de Cristo, não serve».

Aos novos sacerdotes Francisco pediu ainda para serem misericordiosos, sem «carregar sobre os ombros dos fiéis pesos que não podem suportar», e para não se subtraírem ao compromisso de «tocar a carne de Cristo sofredor» nos doentes. Tudo isto, frisou, deve ser feito «com a alegria do serviço de Cristo, até no meio dos sofrimentos, das incompreensões, dos próprios pecados». O modelo é o bom Pastor: «Não sejais “senhores”, não sejais “clérigos de Estado” – exortou – mas pastores do povo de Deus».

Com quatro dos sacerdotes acabados de ordenar o Pontífice foi à janela do palácio apostólico para recitar o Regina caeli no final da missa. E à comunidade do Pontifício colégio português, que recebeu em audiência na manhã de segunda-feira, 8 de maio, na Sala do Consistório, o Papa falou do sacerdócio como vocação colocada sob o olhar amoroso de Maria.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS