Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Não à indiferença
sobre a crise ambiental

· Aos participantes na Cop23 o Pontífice pede que fortaleçam o consenso alcançado com o Acordo de Paris ·

Renovado apelo de Francisco à colaboração e ao compromisso para contrastar os efeitos da crise ambiental. O convite está contido na mensagem papal enviada ao primeiro-ministro das Ilhas Fiji, que preside à 23ª sessão da Conferência dos Estados-Parte da Convenção-Quadro da Onu sobre as mudanças climáticas (Cop 23), em curso em Bonn, Alemanha, até 17 de novembro.

«Há pouco menos de dois anos — recorda — a comunidade internacional, após um longo e complexo debate, chegou à adoção do histórico Acordo de Paris», graças ao qual foi alcançado «um consenso sobre a necessidade de empreender uma estratégia compartilhada para contrastar» este preocupante fenómeno. De resto, «a vontade de dar continuidade a este consenso foi realçada pela velocidade» com que o Acordo «entrou em vigor, depois de menos de um ano da sua adoção». Ele «indica um claro percurso de transição para um modelo de desenvolvimento económico com baixo ou nenhum consumo de carbono, encorajando à solidariedade e contando com os fortes vínculos existentes entre a luta contra a mudança climática e a pobreza». Uma transição que é «solicitada pela urgência climática a qual exige maior esforço da parte dos países, alguns dos quais deveriam procurar desempenhar o papel de guia nesta transição, preocupando-se com as necessidades das populações mais vulneráveis».

A tal propósito, o Pontífice indica quatro atitudes que devem ser evitadas diante da crise ambiental: «negação, indiferença, resignação e confiança em soluções inadequadas». Além disso, também não «nos podemos limitar à dimensão económica e tecnológica»: com efeito, «as soluções técnicas são necessárias mas insuficientes»; e «é essencial e imperativo ter em consideração os aspetos e os impactos éticos e sociais do novo paradigma de desenvolvimento». Por isso, o Papa recomenda que se «preste atenção à educação e a estilos de vida orientados para uma ecologia integral».

Mensagem do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

14 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS