Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Não existe alternativa ao ecumenismo

· Uma leitura católica do «Unitatis redintegratio» ·

Ao recordar o cinquentenário da promulgação do Decreto sobre o ecumenismo, devemos ter consciência que a geografia mundial da cristandade se transformou profundamente e a situação ecuménica se tornou muito mais indecifrável no seu conjunto e certamente mais complicada do que antes. Devemos reconhecer também com honestidade que o objectivo do movimento ecuménico, isto é o restabelecimento da unidade da Igreja, não foi alcançado e evidentemente exigirá muito mais tempo de quanto se tinha imaginado na época do concílio.

Contudo, esta difícil mudança não deve ser motivo de resignação. De facto, não existe absolutamente alternativa ao ecumenismo: ele corresponde à vontade do Senhor e à sua oração sacerdotal pela unidade e é essencial para a credibilidade da fé cristã no mundo de hoje. Portanto, a leitura renovada do Decreto sobre o ecumenismo é uma ocasião profícua para dar nova vida às suas convicções fundamentais e para promover ulteriormente o trabalho ecuménico, graças à presença do Espírito, da qual o concílio estava convicto. De facto, se o concílio viu o Espírito Santo em acção no movimento ecuménico, nós daremos prova de pouca fé se não confiarmos neste Espírito e se não acreditarmos que ele cumprirá, nos modos e tempos que quiser, o que iniciou de maneira tão promissora.

Kurt Koch

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS