Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Nada justifica o terrorismo

· Carta do Papa no décimo aniversário dos ataques nos eua ·

No décimo aniversário dos ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001 o Papa enviou ao arcebispode Nova Iorque, D. Timothy M. Dolan, presidente da Conferência episcopal dos Estados Unidos, a seguinte carta.

Graça a Vossa Excelência e paz de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo!

Neste dia, dirijo os meus pensamentos aos tristes acontecimentos de 11 de Setembro de 2001, quando tantas vidas inocentes foram perdidas no brutal atentado às Torres Gémeas do World Trade Center e nos ulteriores ataques em Washington d.c. e na Pensilvânia. Uno-me a Vossa Excelência ao confiar os milhares de vítimas à misericórdia infinita de Deus Omnipotente e ao pedir ao nosso Pai celeste que continue a confortar quantos choram a perda dos seus entes queridos.

A tragédia daquele dia é agravada ainda mais pela reivindicação dos seus autores de agir em nome de Deus. Mais uma vez, é preciso afirmar sem equívocos que circunstância alguma jamais pode justificar actos de terrorismo. Cada vida humana é preciosa aos olhos de Deus e não se deve poupar esforço algum na tentativa de promover no mundo o respeito autêntico dos direitos inalienáveis e da dignidade de indivíduos e povos em toda a parte.

Deve-se louvar o povo americano pela coragem e generosidade que demonstrou nas acções de socorro e pela sua resiliência no ir em frente com esperança e confiança. Rezo com fervor para que um firme compromisso pela justiça e por uma cultura global de solidariedade continue a libertar o mundo do rancor que com tanta frequência desencadeia actos de violência e crie as condições para uma paz e uma prosperidade maiores, oferecendo um futuro mais luminoso e mais seguro.

Com estes sentimentos, apresento as minhas afectuosas saudações a Vossa Excelência, aos seus irmãos e a quantos estão confiados à sua solicitude pastoral e concedo de bom grado a Bênção Apostólica, em penhor de paz e serenidade no Senhor.

Vaticano, 11 de Setembro de 2011.

BENEDICTUS PP. XVI

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS