Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Na rota de Jesus

· Na audiência geral o Papa Francisco recomenda que não nos deixemos seduzir por vaidades mundanas, dinheiro e sucesso ·

«Por que buscais entre os mortos Aquele que está vivo?». Foi na pergunta dirigida pelos anjos às mulheres piedosas que procuravam Jesus no sepulcro, que o Papa Francisco centrou a reflexão proposta aos fiéis reunidos na praça de São Pedro na manhã de 23 de Abril, por ocasião da audiência geral de quarta-feira.

Um encontro que se distinguiu com o apelo do Papa a favor dos trabalhadores da aceiraria italiana de Piombino, sobre a qual pesa a ameaça de fechamento. Na vigília da audiência, os operários tinham transmitido ao Santo Padre um grito desesperado através de um vídeo. Imagens e palavras que manifestavam o sofrimento daquelas pessoas diante da incerteza do futuro. E foi isto que comoveu profundamente o Papa Francisco, como ele mesmo disse: «Estimados operários, amados irmãos, abraço-vos fraternalmente». Depois, dirigiu-se a quantos têm responsabilidade nesta vicissitude, pedindo que «realizem todos os esforços de criatividade e de generosidade para reacender a esperança nos corações destes nossos irmãos e no coração de todas as pessoas desempregadas por causa do desperdício e da crise económica».

Sobre a esperança o Papa tinha falado também pouco antes quando, durante a catequese semanal, meditou sobre a admoestação do anjo diante do sepulcro vazio de Jesus. Uma admoestação, explicou, que «nos ajuda a sair dos nossos espaços de tristeza, abrindo-nos aos horizontes da alegria e da esperança. Aquela esperança que remove as pedras dos sepulcros e encoraja a anunciar a Boa Nova, capaz de gerar vida nova para os outros».

E para ter a certeza de que as pessoas entenderam até ao fundo o sentido do que dissera, o Papa pediu que todos repetissem juntos «esta frase do anjo, para a manter no coração e na memória, e depois cada um responda em silêncio: “Por que buscais entre os mortos Aquele que está vivo?” Repitamo-la!». Naturalmente, os fiéis na praça não esperaram que o Papa lhes renovasse mais uma vez o convite e repetiram a frase em voz alta. «Olhai, irmãos e irmãs – concluiu o Pontífice – Ele está vivo, está connosco! Não visitemos os numerosos sepulcros que hoje nos prometem algo, a beleza, e depois nada nos dão! Ele está vivo!».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS