Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Mulheres ulemás em Marrocos

«Incrementar o número de mulheres ulemás» nas instituições religiosas de Marrocos: eis as recentes directrizes transmitidas pelo rei do país norte-africano, Mohammed VI, ao Ministério de assuntos islâmicos. «Aumentando o número de especialistas em religião no Conselho superior e nos Conselhos regionais dos ulemás», tenciona-se «reforçar a representação das mulheres na orientação espiritual dos cidadãos». Uma decisão que confirma, lê-se ainda no comunicado, «as grandes esperanças que o rei atribui ao papel das mulheres e à sua grande contribuição para a realização de um renascimento global da comunidade». Há muitos anos - Maomé VI reina desde 1999 - em Marrocos tomam-se iniciativas para o fortalecimento do papel feminino. Em 2005, por exemplo, foi promovida a figura das «murchidats», ou seja, das pregadoras responsáveis pela transmissão dos valores religiosos às mulheres e às crianças nos cárceres, hospitais, locais de trabalho e espaços associativos.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS