Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Mulher excepcional

· Francisco para o quinto centenário de santa Teresa de Jesus ·

«Mulher excepcional» e «modelo atraente de doação total a Deus»: é o retrato com o qual o Papa Francisco descreve Teresa de Jesus na carta enviada ao prepósito-geral dos Carmelitas descalços para os quinhentos anos do nascimento da santa de Ávila.

Depois de se unir à «hora de oração pela paz» promovida em todas as comunidades carmelitas do mundo para o comemoração de sábado 28 de Março, no mesmo dia o Pontífice escreve a padre Saverio Cannistrà, recordando que o aniversário teresiano coincide com o Ano dedicado à vida consagrada», em que Teresa foi e permanece exemplo entre os mais atraentes.

Ao aprofundar a sua figura, o Papa realçou em particular a dimensão orante, missionária, eclesial e comunitária da sua espiritualidade. Santa Teresa é em primeiro lugar, afirmou a este propósito, «mestra de oração». Com efeito, «na sua experiência foi fundamental a descoberta da humanidade de Cristo. Movida pelo desejo de compartilhar esta experiência pessoal com os outros, descreva-a de forma vivaz e simples, ao alcance de todos». A tal ponto que a sua «oração não foi destinada unicamente a um espaço ou a um momento do dia», ao contrário «surgia espontaneamente nas mais diversas ocasiões».

Por esta razão, com o seu exemplo «a Santa pede-nos para sermos perseverantes, fiéis, também no meio da aridez, de dificuldades pessoais ou de necessidades prementes que nos interpelam».

Relativamente à dimensão missionária e eclesial, que desde sempre caracterizou a família religiosa carmelita, «também hoje a Santa abre novos horizontes, convoca para um grande empreendimento, para olhar o mundo com os olhos de Cristo, para procurar o que Ele procura e amar o que Ele ama».

Enfim, concluiu, «santa Teresa sabia que não é possível sustentar a oração e nem sequer a missão sem uma vida comunitária autêntica. Portanto, o fundamento dos seus mosteiros é a fraternidade».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS