Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A missa não se paga

· Durante a audiência geral o Papa recordou a gratuitidade da redenção ·

«A missa não se paga» porque «a redenção é gratuita», recordou o Papa Francisco na audiência geral de quarta-feira 7 de março.

Com os fiéis reunidos na Sala Paulo VI o Pontífice deu prosseguimento ao ciclo de catequeses dedicadas à missa, refletindo em particular sobre a oração eucarística. Nela, explicou, «a Igreja exprime o que cumpre quando celebra a Eucaristia e o motivo pelo qual a celebra, ou seja fazer comunhão com Cristo realmente presente no pão e no vinho consagrados». Toda a assembleia dos fiéis é convidada a unir-se a esta oração e «por isso a Igreja quis celebrar a missa na língua que as pessoas compreendem».

Depois, falando da consagração, o Papa afirmou que «a ação do Espírito Santo e a eficácia das próprias palavras de Cristo proferidas pelo sacerdote, tornam realmente presente, sob as espécies do pão e do vinho, o seu corpo e o seu sangue». Jesus, disse, «foi claríssimo nisto. Ouvimos como São Paulo narra no início as palavras de Jesus: “Este é o meu corpo, este é o meu sangue”. “Este é o meu sangue, este é o meu corpo”. Foi o próprio Jesus quem disse isto. Não devemos formular pensamentos estranhos: “Mas, será possível uma coisa assim...”. É o corpo de Jesus; e ponto final!».

Por fim, referindo-se à prática de deixar ao sacerdote a oferta para a celebração da missa, Francisco reafirmou que «a missa é o sacrifício de Cristo, que é gratuito».

Audiência geral 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

18 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS