Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Meninas e meninos
de rua na Bolívia

A cada duas noites uma equipe de profissionais da Casa de San José sai pelas ruas de Quillacollo, município da faixa urbana de Cochabamba na Bolívia, em busca de meninos abandonados. Calcula-se que só na cidade viviam pela rua 1800. São crianças invisíveis que, em troca de poucos centavos, engraxam sapatos, ajudam as pessoas a subir para os autocarros, limpam os vidros dos automóveis nos semáforos ou pedem esmola. Fogem das próprias casas por insuportáveis situações de violência e de abusos sexuais, devido ao abandono dos pais que, trabalhando, os deixam sozinhos todo o dia, ou pela grande atração por aquela que consideram uma vida fácil. A maior parte destas situações depende da extrema pobreza, do desenraizamento causado pela migração rumo às grandes cidades e pela falta de um sistema de proteção social que identifique os casos mais vulneráveis. A Casa San José ocupa-se da reinserção familiar das crianças, procurando os seus parentes e tentando, graças a psicólogos e educadores, restabelecer as relações com os pais. Quando isto se revela impossível, as equipes recorrem à família alargada: tios, avós e primos para encontrar um núcleo próximo à criança que a proteja e lhe ofereça segurança.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS