Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Maria porta de misericórdia

· Terceira pregação de Advento ·

A mariologia do concílio Vaticano II pode contribuir – e já o está a fazer – para reaproximar católicos e protestantes no terreno delicado da devoção à Virgem Maria. Afirmou o capuchinho Raniero Cantalamessa, pregador da Casa Pontifícia, durante a terceira pregação de Advento, realizada na manhã de sexta-feira, 18 de Dezembro, na capela Redemptoris Mater do Palácio apostólico.

Padre Cantalamessa explicou que o facto de Maria «se colocar fundamentalmente do lado da Igreja», faz com que «as categorias e as afirmações bíblicas» das quais partir para lançar luz sobre ela «são aliás aquelas relativas às pessoas humanas que constituem a Igreja», aplicadas a ela «“a fortiori”», e não as relativas às pessoas divinas, aplicadas a ela «“por redução”». Por exemplo, a fim de compreender de maneira correcta, «o delicado conceito da mediação de Maria na obra da salvação», é mais útil partir «da mediação criatural, ou da base, como é a de Abraão, dos apóstolos, dos sacramentos e da própria Igreja, e não da mediação divino-humana de Cristo».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS