Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Mais solidariedade
menos burocracia

· No Angelus apelo do Papa a favor das vítimas do terramoto da Itália central ·

Um novo apelo a favor «das populações da Itália Central que ainda sofrem as consequência do terramoto e das difíceis condições atmosféricas» foi lançado pelo Papa Francisco no final do Angelus de 29 de janeiro. Em particular, o Pontífice auspiciou que não faltem «o apoio constante das instituições e a solidariedade comum» e que «qualquer tipo de burocracia não faça esperar e sofrer ulteriormente» estas pessoas, às quais quis renovar a própria proximidade.

Precedentemente, o Pontífice tinha comentado para os fiéis presentes na praça de São Pedro o Evangelho do domingo, centrado nas Bem-aventuranças (Mateus 5, 1-12a). Definindo «o grande sermão chamado “da montanha” a “magna charta” do Novo Testamento, o Papa recordou que nele «Jesus manifesta a vontade de Deus de conduzir os homens à felicidade». E se este era um tema «já presente na pregação dos profetas», na de Jesus o «motivo da bem-aventurança, ou seja, da felicidade, não consiste na condição exigida, mas na promessa sucessiva, que deve ser acolhida com fé como dom de Deus». Por conseguinte, esclareceu o Papa, «parte-se da condição de mal-estar para se abrir ao dom e aceder ao novo mundo, o “reino” anunciado por Jesus».

Certamente, advertiu Francisco, este «não é um mecanismo automático, mas um caminho de vida na esteira do Senhor, motivo pelo qual a realidade de mal-estar e de aflição é considerada uma perspetiva nova e experimentada segundo a conversão que se realiza». Com efeito, «não se pode ser bem-aventurados se não formos convertidos, capazes de apreciar e viver os dons» do Senhor.

No final da oração mariana o Papa recordou o dia mundial dos doentes de lepra e saudou os grupos presentes, entre os quais os coloridíssimos jovens da Ação católica da diocese de Roma, dois dos quais assomaram com ele à janela e leram uma breve mensagem. No final foram lançados ao ar numerosos balões, símbolo de paz.

Angelus do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS