Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Jesus é fiel
até quando duvidamos

· ​O Papa Francisco em visita pastoral à paróquia de São Júlio ·

Quando o crente «tem dúvidas», é preciso «apostar em algo: na fidelidade de Jesus», que é «o único totalmente fiel». Quem recebeu este conselho espiritual foram as crianças e os jovens da paróquia romana de São Júlio, no bairro de “Monteverde vecchio”, onde o Papa foi em visita pastoral na tarde de 7 de abril. O Pontífice encontrou-se com eles na estrutura montada em 2015 após a queda de algumas partes do teto da igreja, hoje reestruturada e inaugurada precisamente pelo bispo de Roma, que ali celebrou a missa, presidindo ao rito da dedicação do altar.

Às crianças, o Papa confidenciou que também ele teve «muitas dúvidas» na vida. E conseguiu superá-las não só graças à «companhia de alguém», mas sobretudo falando sobre isto com Jesus. Ele, explicou, «gosta de ver a verdade do nosso coração». Por isso, «a Jesus é preciso dizer as coisas sempre como tu as sentes». E «Ele é muito paciente, espera por nós».

Precedentemente, Francisco encontrou-se com os doentes e os idosos numa sala do complexo paroquial, recordando-lhes que o Senhor transforma os sofrimentos «em oração, apresentando-as ao Pai». Depois, saudou os promotores do “presépio vivo”, preparado pela comunidade a fim de angariar fundos para a reconstrução da igreja. Em seguida, encontrou-se com um grupo de recém-casados e com os casais que frequentam os cursos de preparação para o matrimónio, definidos pelo Papa «um caminho, um catecumenado», destinado a continuar inclusive depois do casamento. Para a vida matrimonial, reiterou, «há três palavras-chave» que «se devem aprender com a mente e com o coração: “posso?”, “obrigado”, “desculpa”». Sem esquecer que «não se deve ter medo de argumentar», contanto que «não se acabe o dia sem fazer as pazes».

Sucessivamente, o Pontífice encontrou-se com os voluntários e os assistidos pela Cáritas — entre os quais, alguns desabrigados, acolhidos pela paróquia durante a emergência invernal — e recordou a importância da oração e da caridade na vida da comunidade.

Após a saudação a quantos se engajaram de várias formas na realização dos trabalhos de reestruturação durante os últimos três anos, dirigiu-se às crianças e aos jovens que se preparam para a Comunhão e a Confirmação.

Por último, o breve encontro com os sacerdotes, no final do qual Francisco confessou três jovens e uma mãe. A tarde do Papa em São Júlio concluiu-se com a missa celebrada na renovada igreja paroquial.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS