Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Irmã Dorothy assassinada há onze anos no Brasil

Numerosas famílias de agricultores de Anapu, no sul do Pará, no Brasil, reuniram-se para recordar o assassínio da irmã Dorothy Stang, ocorrido há onze anos. A religiosa com setenta e três anos era conhecida pela sua coragem e disponibilidade; amiga fiel e próxima dos problemas da população local, nascida nos Estados Unidos e naturalizada brasileira, pertencia à Congregação de Notre Dame de Namur. A irmã Dorothy estava comprometida havia mais de vinte anos na Comissão Pastoral da Terra (Cpt), acompanhando com firmeza e paixão a vida dos trabalhadores dos campos, sobretudo na região transamazónica do Estado do Pará. Devido à sua denúncia da ação violenta dos fazendeiros e grileiros, a partir de 1999 tinha recebido numerosas ameaças de morte até ser assassinada, com seis tiros disparados à queima-roupa numa localidade a quarenta quilómetros do município de Anapu. Nos encontros e nas celebrações pelo aniversário, que duraram uma semana, falou-se também dos últimos crimes ocorridos neste início de ano em Eldorado do Carajás: na base estão precisamente os mesmos motivos que levaram ao assassínio da irmã Dorothy.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS