Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Invocação pela paz

· O Papa Francisco telefona pessoalmente aos presidentes israeliano e palestino compartilhando as suas preocupações pelo conflito ·

Depois de dez dias de ataques aéreos contínuos em resposta aos foguetes de Hamas, o exército israeliano lançou ontem durante a noite uma ampla operação terrestre na Faixa de Gaza. Portanto, não obteve sucesso a iniciativa diplomática egípcia e as esperanças de paz parecem cada vez mais distantes.

Na sequência do apelo premente para que se continue a rezar pela paz na Terra Santa, lançado domingo passado, esta manhã o Papa Francisco telefonou pessoalmente ao presidente israeliano Shimon Peres e ao presidente palestino Mahmoud Abbas, compartilhando as suas gravíssimas preocupações pela actual situação do conflito, que atinge em particular a Faixa de Gaza e que, num clima de crescente hostilidade, ódio e sofrimento para os dois povos, está a semear numerosas vítimas e causando uma situação de grave emergência humanitária. Como fizera durante a sua recente peregrinação à Terra Santa e por ocasião da invocação pela paz no passado dia 8 de Junho, o Papa garantiu a sua oração incessante e a de toda a Igreja pela paz na Terra Santa e compartilhou com os seus interlocutores, que considera homens de paz e que querem a paz, a necessidade de continuar a rezar e a trabalhar para fazer com que todas as partes interessadas e quantos têm responsabilidades políticas a nível local e internacional se comprometam para fazer cessar qualquer hostilidade, esforçando-se em prol de uma trégua, da paz e da reconciliação dos corações.

Também o secretário-geral da Onu, Ban Ki-moon, auspiciou que em breve as armas possam ser silenciadas. Com efeito, declarou que «não pode haver uma solução militar para este conflito».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS