Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Ingeborg, doutorada de 102 anos

Provavelmente é a mais idosa doutorada da história: de facto, com 102 anos, a neonatólogo alemã Ingeborg Syllm-Rapoport recebeu o PhD da universidade de Hamburgo setenta e sete anos depois de ter acabado a sua tese de doutoramento sobre a difteria. Com efeito, sendo filha de uma judia – a mãe era a célebre pianista Maria Syllm – em 1938 não pude fazer o exame oral por causa do regime nazista. Ingeborg Syllm-Rapoport fugiu pouco depois da Alemanha para os Estados Unidos, onde não foi fácil afirmar-se profissionalmente sem o documento que certificasse os seus estudos. Mas o desejo e a força de lutar nunca abandonaram esta mulher, que não só escolheu regressar em seguida para a pátria – onde se tornou uma estimada docente de neonatologia – mas decidiu que não teria renunciado ao que injustamente lhe tinha sido tirado. «É uma questão de princípio», comentou agora finalmente satisfeita, «não uma questão pessoal».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS