Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A graça da memória

· No dia do seu octogésimo aniversário o Papa celebrou com os cardeais e tomou o pequeno almoço com alguns desabrigados ·

Pequeno-almoço com os pobres. Na manhã de sábado, 17 de dezembro, por ocasião do seu octogésimo aniversário de nascimento, o Papa Francisco recebeu os parabéns de oito desabrigados, duas mulheres e seis homens. De nacionalidades diferentes – quatro italianos, um moldavo, dois romenos e um peruano que vivem nos arredores de São Pedro – foram acompanhados a Santa Marta pelo arcebispo esmoler Konrad Krajewski.

O Pontífice recebeu-os às 7h15, saudando-os afetuosamente um por um, e agradecendo-lhes a sua oferenda de três ramos de girassóis, que pediu para colocar na capela. Em seguida, convidou-os pessoalmente para a sala de jantar para tomar o pequeno-almoço, sentando-se ao lado deles e conversando com cada um. Após cerca de meia hora despediu-se dos hóspedes oferecendo-lhes doces argentinos. Em seguida deslocou-se à Capela Paulina, no Palácio apostólico, onde celebrou a missa com os cardeais. Na homilia falou da «graça da memória». «Devemos pedir – disse comentando as leituras do dia – esta graça: não esquecer», porque, «no nosso caminho encontramos sempre graça e pecado. Momentos de grande fidelidade ao Senhor, de alegria no serviço, e alguns maus momentos de infidelidade, de pecado que nos fazem sentir a necessidade da salvação». Mas, observou, «esta é também a nossa segurança, porque quando precisamos de salvação, fazemos uma confissão de fé: “Eu sou pecador, mas Tu podes salvar-me”. E assim – concluiu – vai-se em frente na alegria da esperança». No final do rito, ao agradecer aos cardeais concelebrantes, pediu-lhes que rezassem para que a sua velhice «seja tranquila, religiosa e fecunda. E também jubilosa». Sucessivamente, na Sala Paulo VI, o Papa encontrou-se com os membros da comunidade de Nomadelfia, convidando-os a renovar o ideal de «vida de fraternidade» proposto pelo fundador padre Zeno Saltini.

Até hoje de manhã o Papa recebeu através de correio eletrónico dezenas de milhares de mensagens de bons-votos, provenientes de todo o mundo. Os mais numerosos são em inglês, espanhol e italiano. Por fim, recordamos que neste dia, em muitos refeitórios de Roma, no final do almoço ou do jantar, em nome do Pontífice é oferecido um bolo de aniversário, e os hóspedes de vários dormitórios recebem um envelope com a imagem-recordação do Natal e um pequeno dom.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS