Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Gestos e palavras para todos

· O Papa Francisco segundo os massmedia internacionais ·

«Talvez a lição principal dos primeiros cem dias do Papa Francisco seja que quando está em questão a liderança espiritual,  na realidade o estilo é substância», escreve o vaticanista John L. Allen no «National Catholic Reporter», ao fazer um balanço deste primeiro período de Bergoglio na cátedra de Pedro. «No caso deste Papa, que em cada gesto é uma encíclica, os primeiros cem dias são um concílio sem reuniões intermináveis  e incensários de prata, um concílio virtual e telemático, coerente com os tempos», escreve padre Ángel García Rodríguez, presidente e fundador dos Mensageiros da Paz no suplemento especial que o jornal espanhol «La Razón» dedicou ao Papa. «O sopro de ar puro – continua Rodríguez – está a transformar-se num vendaval de fé e obras. O Papa Francisco  deseja uma Igreja mãe, nunca adormecida e, sobretudo, que não adormeça».

«Este Papa fala muito – escreve Jean-Marie Guénois no «Le Figaro», comentando o que chama “Papamania” difundida em todo o mundo – todas as manhãs  uma homilia, cartas aos amigos, comentários e frases divertidas. Com frequência discursos escritos de próprio punho ou improvisados no momento, enquanto as folhas já preparadas são postas de lado. Este jesuíta é um pregador nato» conclui Guénois.

O diário «la Croix» propõe um percurso através de  imagens, artigos e testemunhos, entre os quais, o do escritor Philippe Sollers, da deputada europeia Sylvie Goulard, e do ex-primeiro-ministro francês Jean-Pierre Raffarin, que confessa ao jornal católico: «Fui conquistado quando pediu que rezássemos por ele. Este Papa comunica um sentimento extraordinário de paz interior e de humildade. Antes sentia uma espécie de derrotismo no catolicismo, agora sinto que os católicos só esperam uma mensagem forte e clara para que despertem. Surpreendeu de modo particular a sua visão do papel dos idosos na sociedade». E no jornal on line «Slate», Henry Tinq escreve: «Este Papa não cessa de surpreender». Nos seus primeiros cem dias, o Papa Francisco conquistou a confiança de 85 por cento dos italianos. Revela-o uma sondagem realizada pelo Instituto Demopolis , que refere uma apreciação que alcança 96 por cento entre os católicos, 87 por cento entre as mulheres e 65 por cento entre os não-católicos e não-crentes.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

18 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS