Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Gelo do Kremlin
sobre a trégua proposta por Kiev

· Estados unidos e União europeia favoráveis à iniciativa do presidente ucraniano ·

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, anunciou ontem um cessar-fogo unilateral por parte das tropas de Kiev para permitir que os milicianos separatistas do leste abandonem as armas. 

Segundo o porta-voz das forças ucranianas, Vladislav Selezniov, a trégua começou às 22h00, mas só durará uma semana, e se as forças favoráveis à Rússia não cessarem o combate «serão eliminadas». Trata-se do passo inicial para a realização do plano de paz em 15 pontos, programado por Poroshenko e divulgado ontem nas suas linhas essenciais. Todavia, a proposta do presidente ucraniano foi rejeitada pelos líderes separatistas. E ontem à tarde, depois dos primeiros sinais de abertura de Vladimir Putin sobre a trégua, chegou o não do Kremlin: segundo a Rússia, nos termos em que foi proclamada, na ausência da disponibilidade a negociações directas com os milicianos, a trégua «parece sobretudo um ultimato».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS