Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A família
boa notícia para o mundo

· ​Carta do Papa em preparação para o encontro mundial de Dublim em agosto de 2018 ·

«A família continua a ser uma boa notícia para o mundo de hoje». Está convicto disto o Papa Francisco, que numa mensagem enviada ao cardeal Kevin Farrell convidou a dar início ao caminho de preparação rumo ao nono encontro mundial das famílias, programado de 21 a 26 de agosto de 2018 em Dublim, na Irlanda, sobre o tema: «O Evangelho da Família: alegria para o mundo».

Ao prefeito do dicastério para os leigos, a família e a vida, o Pontífice manifestou expressamente o seu desejo de que todas as famílias «possam aprofundar a sua reflexão e a sua partilha sobre os conteúdos da exortação apostólica pós-sinodal Amoris laetitia». Hoje, recordou, há mais do que nunca «necessidade de uma renovada humildade que plasme o desejo de nos formarmos, de nos educarmos e de sermos educados, de ajudarmos e de sermos ajudados, de acompanharmos, discernirmos e integrarmos todos os homens de boa vontade».

«Sonho — afirmou a propósito Francisco — uma Igreja em saída, não autorreferencial, uma Igreja que não passe distante das feridas do homem, uma Igreja misericordiosa que anuncie o coração da revelação de Deus amor, que é a misericórdia». É esta mesma misericórdia, garantiu, «que nos renova no amor; e sabemos que as famílias cristãs são lugares de misericórdia e testemunhas de misericórdia».

Na mensagem, o Papa frisou em especial que «a família é o “sim” do Deus amor». Portanto, «só a partir do amor a família pode manifestar, difundir e regenerar o amor de Deus no mundo». Eis por que, insistiu, «sem o amor não podemos viver como filhos de Deus, como cônjuges, pais e irmãos».

«Desejo realçar — escreveu — como é importante que as famílias se interroguem com frequência se vivem a partir do amor, para o amor e no amor». Concretamente, isto significa «doar-se, perdoar-se, não perder a paciência, antecipar o outro, respeitar-se». E a vida familiar seria certamente melhor «se cada dia se vivessem as três simples palavras “com licença”, “obrigado”, “desculpa”».

Carta do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS