Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Esterilizadas em Laos. A Igreja opõe-se

Uma campanha de planeamento familiar lançada pelo departamento para a saúde da província de Huaphan, no Laos oriental, encoraja as mulheres a esterilizarem-se através de laqueação. Como informam à Fides as fontes locais, o serviço que é oferecido de graça e se concluirá no fim de 2013, é apoiado pelo Fundo da ONU para a População. Segundo o vice-director do departamento Thongbay Thavisouk, a iniciativa tornou-se necessária porque as mulheres locais, em média, dão à luz seis filhos. São demais, trata-se de um número que, do seu ponto de vista, incidiria de modo negativo na saúde da mulher e no nível de bem-estar das famílias. Triste constante na história recente, a esterilização é apresentada pelas autoridades como um meio para melhorar o status económico dos indivíduos. Mas também no Laos cresce, sobretudo, mas não só, entre as comunidades cristãs, o movimento pela vida. A associação católica Human Life International, por exemplo, graças aos esforços da sua secção asiática, ocupa-se da assistência dos pequenos grupos pro-life locais que surgiram a partir de 2008. E se os grupos de católicos, com outros cristãos, estão empenhados na promoção de temas ligados ao respeito pela vida, na capital Vientiane, apesar das dificuldades, a irmã Milagros Azucena desempenha o trabalho pastoral para casais, mulheres e crianças.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS