Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

As escravas de ontem

Das poucas palavras que a actriz Lupita Nyong'o pronunciou ao retirar o Óscar de 2014 como melhor actriz não-protagonista, a imprensa recordou sobretudo a passagem final: «Esta estátua significa que não importa de onde tu és, os teus sonhos podem sempre realizar-se». E no entanto, tinham sido mais interessantes as palavras iniciais da actriz queniana de trinta e um anos, premiada por ter interpretado a escrava Patsey no filme 12 years a slave de Steve McQueen. Baseado na autobiografia (1853) de Solomon Nothup, o filme narra a história do violinista negro, homem livre no Estado de Nova Iorque que, com um engano, é raptado e levado para Luisiana onde será escravo durante 12 anos. Depois de ter agradecido pelo Oscar, Nyong'o acrescentou: «Não posso esquecer, nem por um segundo, que a alegria deste momento tornou-se possível devido ao enorme sofrimento de alguém. Por isto, quero agradecer o espírito de Patsey que me guiou. E agradecer Solomon, por ter narrado a verdadeira história desta menina e a sua».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

18 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS