Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Entre missião e nova evangelização

· O dia de oração e reflexão convocado pelo Papa para o Colégio cardinalício ·

«O anúncio do Evangelho hoje, entre missio ad gentes e nova evangelização» é o tema do Dia de oração e reflexão convocado pelo Santo Padre para os membros do Colégio cardinalício e para os novos cardeais por ocasião do Consistório que, tendo ioniciado esta manhã, sexta-feira 17 de Fevereiro, na sala nova do síndo dos bispos no Vaticano, se concluirá no final da tarde, depois das vésperas.

O dia teve início com a celebração da Hora terça, à qual se seguiu a saudação introdutória do decano do Colégio cardinalício, cardeal Angelo Sodano. Em seguida o arcebispo de Nova Iorque, o cardeal designado Timothy Michael Dolan, desenvolveu um relatório inaugural no qual, definindo a nova evangelização «dever sagrado», desenvolveu aqueles que considera os sete pontos da estratégia que deve constituir a sua base. A nova evangelização, repetiu, diz respeito a todos. E a este propósito, citando o concílio Vaticano I, recordou que se é verdade que há missionários explícitos, ou seja, os que são enviados onde o povo nunca ouviu falar de Jesus, é verdade também que não existe cristão algum que seja excluído da tarefa de testemunhar Jesus, transmitindo a outros o convite do Senhor na vida quotidiana.

Em seguida o arcebispo Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a promoção da Nova Evangelização, desenvolveu uma comunicação sobre o Ano da Fé, sobre o seu significado à luz da carta apostólica Porta fidei, e apresentou uma série de iniciativas que estão a ser estudadas por parte de diversos Dicastérios por ocasião do mesmo Ano da Fé cujo objectivo principal permanece o de «renovar e fortalecer a fé – disse entre outras coisas o prelado – num momento de particular crise que vê, antes de tudo, muitos cristãos indiferentes, distantes da vida da comunidade e com frequência confundidos com as vicissitudes da história que neste período entrou numa grave crise de identidade e de responsabilidade social.

Depois da comunicação de monsenhor Fisichella tiveram início as intervenções dos participantes no Dia. O tempo chegou para 7 intervenções sobre vários temas até à recitação do Angelus guiado pelo Papa.

À tarde, depois das vésperas às 17h00, prosseguirão as intervenções. No total de 213 membros do Colégio cardinalício, incluídos os novos cardeais, estavam presentes 133. Os ausentes desculparam-se por motivos de idade, de saúde ou de precedentes compromissos inderrogáveis.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS