Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Enorme vergonha para a humanidade

· O Papa denunciou as desigualdades de acesso à água ·

A «enorme vergonha» da falta de acesso à água limpa em muitas regiões do mundo foi denunciada novamente com vigor pelo Papa Francisco. Numa mensagem aos participantes na conferência internacional organizada sobre o tema no dia 8 de novembro em Roma pelo Dicastério para o serviço do desenvolvimento humano integral, o Pontífice voltou a falar da emergência hídrica e da importância do «reconhecimento do acesso à água potável como direito que nasce da dignidade humana, por conseguinte incompatível com o conceção da água como uma mercadoria qualquer».

Levantando o véu «da corrupção e dos interesses de uma economia que exclui e mata», o Papa evidenciou uma contradição inaceitável: «em muitos países nos quais a população não tem um acesso regular à água potável não falta o fornecimento de armas e munições que continuam a deteriorar a situação!».

Mensagem do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Novembro de 2018

NOTÍCIAS RELACIONADAS