Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Em frente superando os obstáculos

· Missa em Santa Marta ·

Caminhar, ir em frente, além dos obstáculos. É esta a atitude justa para o bom cristão porque faz parte da sua identidade. Aliás, um cristão que não caminha, que não vai em frente «está doente na sua identidade». O Papa Francisco – durante a missa celebrada em Santa Marta esta manhã, sexta-feira 14 de Fevereiro voltou a repetir o convite que faz com frequência aos fiéis que encontra: «Em frente, ide em frente».

E fê-lo recordando dois irmãos, padroeiros da Europa, Cirilo e Metódio, dos quais se celebra hoje a memória. Como discípulos, foram enviados ao mundo para levar a mensagem e este seu ir, frisou o Papa, «faz-nos reflectir sobre a identidade do discípulo», que é a identidade cristã.

Mas, perguntou o Pontífice, «quem é o cristão?», como se comporta o cristão? E a sua resposta foi: o cristão «é um discípulo. É um discípulo enviado. O Evangelho é claro: o Senhor convidou-os, ide, ide em frente! E isto significa que o cristão é um discípulo do Senhor que caminha, que vai sempre em frente. Não se pode pensar num cristão parado. Um cristão que permanece parado está doente na sua identidade cristã».

Outro aspecto da identidade do cristão é que «deve permanecer sempre cordeiro. Uma antiga antífona pascal faz-nos cantar: “estes são os cordeiros novos, baptizados”». O Papa Francisco referiu-se ao trecho do Evangelho de Lucas acabado de proclamar (10, 1-9) e disse: «O cristão é um cordeiro e deve conservar esta identidade de cordeiro: “eis que eu vos envio como cordeiros entre os lobos”». Por conseguinte, permanecer «cordeiro, não estúpido; mas cordeiro. Cordeiro, com a astúcia cristã, mas sempre cordeiro. Porque se tu és cordeiro Ele defende-te. Mas se te sentes forte como o lobo Ele não te defende, deixa-te sozinho. E os lobos comer-te-ão vivo».

«Qual é – perguntou – o estilo do cristão neste caminhar como cordeiro?». «A alegria», foi a resposta. A alegria é o estilo do cristão. O cristão não pode caminhar sem alegria. Não se pode caminhar como cordeiros sem alegria». Uma atitude que se deve manter sempre, também face aos problemas, nos momentos de dificuldade, até «nos próprios erros e pecados» porque «há a alegria de Jesus que perdoa e ajuda sempre».

Portanto o Evangelho, repetiu o bispo de Roma, deve ser levado ao mundo por estes cordeiros que caminham com alegria. «Não fazem um favor ao Senhor na Igreja – admoestou – aqueles cristãos que têm um tempo de vagar lamentoso, que vivem sempre assim, lamentando-se de tudo, tristes. Não é este o estilo de um discípulo. Santo Agostinho diz: vai, vai em frente, canta e caminha, com alegria! E este é o estilo do cristão: anunciar o Evangelho com alegria». Ao contrário, «a demasiada tristeza e também a amargura levam-nos a viver um chamado cristianismo sem Cristo». O cristão nunca está parado: é um homem, uma mulher que caminha sempre, que supera as dificuldades. E fá-lo com as suas forças e com alegria. «O Senhor – concluiu o Papa – nos conceda a graça de viver como cristãos que caminham como cordeiros e com alegria».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS