Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Educar para o acolhimento
e para a solidariedade

· ​O Papa recorda que metade dos refugiados no mundo são crianças ·

É preciso educar as pessoas «para o acolhimento e a solidariedade» a fim de «evitar que os migrantes e os refugiados encontrem, no seu caminho, indiferença ou, pior, intolerância», afirmou o Papa Francisco na saudação dirigida aos artistas protagonistas do concerto de Natal no Vaticano, que terá lugar sábado, 15 de dezembro. Ao recebê-los em audiência na manhã de sexta-feira, 14, na Sala Clementina, o Pontífice convidou-os a «refletir sobre a situação de muitos homens, mulheres e crianças do nosso tempo – migrantes, prófugos e refugiados – em marcha para fugir das guerras, das misérias causadas pelas injustiças sociais e pelas mudanças climáticas». Também Jesus, recordou, «provinha “de outro lugar”». E, por conseguinte, «recorda-nos que metade dos refugiados de hoje, no mundo, são crianças, vítimas sem culpa das injustiças humanas». Por isso apelou «a fazer rede com a educação» a fim «de abrir de par em par os portões dos campos de refugiados, permitir que os jovens migrantes se insiram nas novas sociedades, encontrando solidariedade, generosidade e promovendo-as»: um objetivo que os projetos de Missões Dom Bosco no Uganda e de Scholas Occurrentes no Iraque visam, aos quais se destinam os proventos benéficos do concerto.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS