Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Educar os jovens para a justiça e a paz

· Escolhido pelo Papa o tema para o próximo Dia mundial ·

O Santo Padre Bento XVI escolheu o seguinte tema para a celebração do 45º Dia Mundial da Paz do próximo 1 de Janeiro de 2012: «Educar os jovens para a justiça e a paz». O tema refere-se a uma questão urgente no mundo de hoje: escutar e valorizar as novas gerações para a realização do bem comum e a afirmação de uma ordem social justa e pacífica, na qual se possam actuar e expressar plenamente os direitos e as liberdades fundamentais do homem.

Portanto, é um dever das gerações actuais preparar as futuras para exprimir de modo livre e responsável a urgência de um «mundo novo». A Igreja acolhe os jovens e os seus anseios como o sinal de uma primavera sempre promissora e indica-lhes Jesus como modelo de amor que «renova todas as coisas» ( Ap 21, 5).

Os responsáveis do Estado são chamados a agir a fim de que instituições, leis e âmbitos da vida sejam permeados por um humanismo transcendente que ofereça às novas gerações oportunidades de realização plena e de trabalho para construir a civilização do amor fraterno coerente com as mais profundas exigências da verdade, liberdade, amor e justiça do homem.

Portanto, isto explica a dimensão profética do tema escolhido pelo Santo Padre, que se insere no plano da «pedagogia da paz» traçado por João Paulo II em 1985 («A paz e os jovens caminham juntos»), em 1979 («Para alcançar a paz, educar para a paz») e em 2004 («Um compromisso sempre actual: educar para a paz»).

Os jovens devem ser agentes de justiça e paz num mundo complexo e globalizado. Isto torna necessária uma nova «aliança pedagógica» de todos os responsáveis. O tema preanuncia uma etapa preciosa do Magistério proposto por Bento XVI nas Mensagens para a celebração do Dia Mundial da Paz, iniciado no sinal da verdade (2006: «Na verdade a paz»), prosseguido com as reflexões sobre a dignidade do homem (2007: «Pessoa humana, coração da paz»), a família humana (2008: «Família humana, comunidade de paz»), a pobreza (2009: «Combatei a pobreza, construí a paz»), a salvaguarda da criação (2010: «Se quiseres cultivar a paz, salvaguarda a criação») e a liberdade religiosa (2011: «Liberdade religiosa, caminho para a paz»); e que agora se dirige às mentes e aos corações pulsantes dos jovens: «Educar os jovens para a justiça e a paz».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS